O Olho de Cabra, segundo selo postal lançado no Brasil, em 1850, será alterado para a imagem de um Bode Expiatório para referenciar a função do presidente Temer. Bodão de olho gordo para evitar mau-olhado. O povo brasileiro deve repetir “Kibon, Kibon”  a tudo que o presidente fizer.

É a primeira vez na história dos Correios que uma primeira-dama é homenageada. Marcela, recatada e do lar quase aceitou manter a essência do terceiro selo brasileiro, o Olho de Gato. Houve graves alterações estéticas até atingiu o padrão de tigresa angorá. Citado na delação da Odebrecht com o apelido de Angorá, o ex-deputado Moreira Franco sabe dar o pulo do gato e tem mais do que sete vidas.
Homem de sete cabeças e ao mesmo tempo bode expiatório, lutando contra hércules do poder, Temer achou fraca a estratégia de divulgação mundial de Dom Pedro II, que lançou uma sequência de retratos em selos: imperador de barba escura e branca, carão auriverde (a primeira emissão em duas cores), cabeça grande e cabeça pequena.

O Brasil foi o segundo país do mundo a lançar um selo, depois da Inglaterra.  A primeira série de 30, 60 e 90 réis foi o Olho de Boi (1843), o segundo selo divulgado mundialmente. Hoje, o país quer sair da posição de segundo maior exportador de carne bovina e se tornar o primeiro. Isso vai demandar mais área devastada e gerar maior efeito estufa com a emissão bovina do gás metano. Em compensação, o Correios, com 353 anos de história no país, está sempre lançando temas ecológicos: Dia da Árvore, da Água, do Meio Ambiente.

No começo, Dom Pedro II não quis arriscar a própria pele. Empregados dos Correios poderiam imacular a cara do imperador com um carimbo sujo. Temer gosta de jogo sujo e é amigo do Escorpião, apelido de Eduardo Cunha no listão da Odebrecht. Recentemente, Aécio Neves foi depor na Polícia Federal, em Brasília, sobre a CPI dos Correios. Quase homenagearam o Mineirinho com a foto da quase selo de beijinho no Moro.
Temer esteve no lançamento do selo comemorativo de 70 anos do Tribunal Superior do Trabalho – TST. Ele gosta de tribunais  e critica Dilma, que só foi a eventos postais de baixo porte: Sistema Teleférico no Complexo do Alemão e a primeira agência do Correios em Comunidade Pacificada. Dilma e Fernando Collor não terão selos comemorativos por conta do impeachment.

Um filatelista informou que presidente da República recebe homenagem dos Correios em final de mandato, “mas isso vem ocorrendo desde a redemocratização apenas, talvez essa seja a forma que encontraram para promover o ideal de democracia através dos selos”.

Já orientaram Temer a não sorrir quando chegar o momento dele, se não houver impeachment. O último militar no comando, João Batista Figueiredo, saiu sorrindo. Exatamente ele, que gostava mais de cavalos do que gente. Figueiredo quis substituir o Olho de Cabra pelo Olho do Cavalo. O Nordeste não deixou. Mais sorridente ainda foi Lula, com uma edição de 900 mil exemplares. Será que sorriso indica fim de uma era presidencial ou ri por último quem ri melhor? Fernando Henrique Cardoso saiu bem sério, em 2003.

É natural que Temer tenha alguns desprezos postais. Com que direito Getúlio Vargas ganhou selo na Argentina, Uruguai, Paraguai e Bolívia? Sobre chefes de estados que visitaram o Brasil e ganharam selos, nada contra. O que irrita é o Sarney ter se destacado em um “selo azul”. Não basta a família Sarney dar nome a 161 escolas do Maranhão, hospital, fóruns, ponte, rodoviária, avenida, tribunal de contas e vias públicas?  Sarney só não conseguiu alterar o clássico Olho de Gato por Olhos de Marimbondos de Fogo (título do livro de poesias dele).
É preferível engolir marimbondo a suportar o selo de Fidel Castro lançado em 1959, depois da queda de Fulgencio Batista. Tem até mensagem: “Nossa revolução NÃO é COMUNISTA. Nossa Revolução é HUMANISTA. Os cubanos só querem o direito à educação, o direito ao trabalho, o direito a comer sem medo, o direito à Paz, à Justiça e à Liberdade”. É tudo isso que Temer e sua gangue querer tirar de uns 95% de brasileiros. Em troca, oferecem uma vida de gado, com o olho triste do boi entrando no matadouro.

No mais, colecionar selos é uma atividade de lazer e cultura, com a vantagem de fazer amigos.