Agora apenas rememoro
Cada cor que trocamos
Os sonolentos passos
Depois da tempestade
A eternidade reconquistada
Nossos dedos tornados tessitura
Sou devota deste amor
Que trazes dentro e  fora
Tenra alma, doce e terna:
– fogo, como o de Vishnu – cores,
Como as de Krishna
Ungimo-nos com os deuses
E trocamos risos de felicidade
Ardendo por uma tarde
Tão imensa que não lhe coube o tempo
Unimo-nos em todos os cantos e urdimos
Desejos de eternidade
Amando em um dia tão intenso
Que não nos soube o quanto
Agora jazes em outros sonhos
Tão delicados e coloridos
Imersos em nossa chama…
Chama…