Ah, essas retinas

Desses olhos, as meninas

Da menina esse olhar

 

Penetra-me como feixe de luz

Esse luzir que me projeta

Fotografa-me em teu interior

 

E me encanta

Dança a valsa, a ciranda

Basta olhar-me

Pra eu me entregar

Feito criança me desmanchar

Em um sorriso

 

E tão vivos,

Tão belos

Um negro intenso que não se acaba

Duas esferas com sabor, jabuticaba

Bolas de gude em ausente cor,

Que perfeição

 

É neles que perco o meu juízo

Pra ganhar minha redenção