No meio científico, visão acromática é o nome dado a um distúrbio/doença que corresponde ao grau máximo do daltonismo. Um portador de visão acromática não possui os cones que fazem a recepção das cores vermelha, verde e azul, vendo então tudo a preto e branco.” (fonte Wikipédia).

Quando estudei na segunda turma do curso de formação em fotografia da ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing, na primeira saída com filme preto e branco na câmera (lá se vão 20 e tantos anos), um dos meus mestres disse uma frase que jamais sairia de minha memória: “Vocês devem se esforçar para enxergar tudo em tons de cinzas, fará muita diferença lá no laboratório químico”!!!

Tenho me esforçado muito para aprender a enxergar “monocromático”, isso realmente me ajudou a interpretar as zonas de altas, médias e baixas luzes com mais eficiência. Aprendi no passado com um grande fotógrafo das antigas a aplicar o “Zone Sistem” ou sistema de zonas por intermédio dos tons de cinzas, desenvolvido por Ansel Adams, grande fotógrafo de paisagens americano.

Contudo, ainda pra mim, as palavras “interpretação e representação”, nesse meio, devem sobrepor a qualidade técnica.

O “experimentar” através dos recursos tecnológicos disponíveis, se tornou ao mesmo tempo limpo e prazeroso, embora eu confesse, o cheirinho dos fotoquímicos e o revelar fotográfico dentro de um laboratório foram experiências maravilhosas, lúdicas e, no bom sentido, “viciantes”!!! Chegava a ficar 12 horas no quarto escuro, muitas vezes para sair de lá com duas ou três consideradas boas cópias.r

A tecnologia logicamente oferece maiores possibilidades e velocidades de processamento, isso sem contar a maior facilidade em desenvolver estilo, caráter e personalidade nos trabalhos.

Nessa coleção de imagens intitulada “Visão acromática”, apresento meus pensamentos monocromáticos; embora goste de cores nas maioria das minhas composições, deixo para o leitor a possibilidade interpretativa.

________________________________________________________________________

Derli Mello, fotógrafo há 23 anos e diretor da Folium Escola de Arte na cidade de Mogi das Cruzes-SP, Brasil.

________________________________________________________________________

 

Captura de Tela 2016-07-10 às 17.16.54