Pensei em te oferecer umas lembranças

Das coisas que há pouco eu vivi e senti

Umas palavras de esperança

Ou de atenção

E algumas fotografias dos muros que entre nós temos de quebrar

Sobre essa solidão de odiar o espelho

Sobre aquele dia que

Clichê

nos encontramos nus na rua

Era carnaval

A máscara acabou quebrada, pois atrapalhava

E um a um tirou os grampos de meu cabelo

E só ao fim eu percebi

Sobre duas semanas atrás

Ter dançado

e sem palavras

eu dizia e

você tocava

E enquanto girávamos

Ter tido uma vontade tão diferente

De só conseguir propor sim

E não era um poema

Nem uma canção inventada

Sobre reler o Sentimento do Mundo de Drummond

E sentir o peito exprimido escorrer pelos olhos

Sobre ter tomado Ayahuasca

e relembrar aquela noite

em que seus olhos verdes espelhavam os meus

e tudo em mim me penetrava

e o corpo tremia em esverdeados lambiantes

eu às vezes dou risada na hora errada

e ainda sim me dizia

“Linda!”

Eu queria…

Mas ando tendo de trabalhar muito

Um emprego só não é o suficiente

E o medo que dentro de casa

Agora dorme em minha cama

E aonde eu vou

Ele manda eu aguentar

“Não pense em crise,

Trabalhe”

Eu vi meus amigos na rua ontem

Eles caíam ao chão

Os olhos fechados pelo gás

Pelo gás…

O meu chão…

Recebi

uma carta

do banco

Se eu não quitar as prestações

Logo, logo vão tomar

Entrou um bico,

um trabalho para revisar

Palavras…

Nunca minhas

Pagava a metade da metade

Pelo serviço na metade do prazo

Um negrito eu esqueci

“trabalho de bosta”

O grito aguando a tela

Borrando tudo

Ocupando tudo…

Não pense em crise

Não pense

Em crise, trabalhe

Não pense

Em silêncio

Eu queria…

Só que agora num dá

Num dá!

O prazo

As palavras do Outro

O negrito esquecido

Sem grito

Rimas esdrúxulas

São mais rápidas

Eu queria…

Escrevi essas palavras clandestinas somente para sentir seus olhos tocando esse pedaço de mim ainda vândala

Um coquetel molotov atravessou a janela

atingiu o poema

o gás lacrimogêneo

O olho arde

E eu volto a rir

Eu sempre rio na hora errada

A hora certa não existe pra quem quer pensar

Pra quem quer

Pulsar.