Nosso sistema educacional é precário. A educação não nos permite desenvolver um olhar crítico sobre o que nos cerca; desde cedo nas escolas somos induzidos a decorar as matérias e não a refletir sobre o conteúdo transmitido – é fácil observar isto quando estudamos uma matéria importante, mas que para muitos tem pouco valor: a História.

O colégio particular nos conduz ao caminho da opressão – o homem branco europeu superior – e da disputa – o melhor aluno, a melhor nota, o que tem mais Q.I., o melhor esportista e etc. -, enquanto o público condiciona o oprimido ao papel de subserviente, negando a história de seus ancestrais e estabelecendo a epopeia “vitoriosa” – genocida – de um povo que não tem nada a ver com ele e suas raízes; assim ele não questiona seu lugar na sociedade e acredita que sua “inferioridade” é algo natural, pois o mundo já era assim desde seus antepassados e não há o que se fazer, a não ser lamentar e seguir a vida.

Aliados a nossa educação tóxica estão os veículos midiáticos, e entre eles o pior de todos é a televisão. E por quê?

A televisão é a maior doutrinadora social existente e todos nós temos pelo menos uma em casa. Tudo o que aparece na televisão aos olhos de grande parte da população é tido como verdade absoluta, sem ao menos questionarmos se aquilo que eles estão empurrando a nós goela abaixo é benéfico ou prejudicial, se aquilo atende aos interesses públicos ou privados, se aquilo é a verdade ou não. Os jornais manipulam descaradamente, mas não importa, porque, se eles tão falando, é porque é verdade, está na TV. Se não aparece na televisão é porque não existe, é imaginação e teoria da conspiração.

A TV estabelece manuais de conduta, cartilhas para chegar ao sucesso e determina o que é uma pessoa bem-sucedida, o que é certo e o que é errado, quem é bom e quem é ruim. E o pior é que compramos essas ideias sem ao menos questionar, sem ao menos refletir.

A TV nos condiciona a todo instante, nos condiciona a consumir o que não é necessário, a almejar ser o que não queremos ou não podemos ser e, principalmente, nos induz ao erro de acharmos que, ao acompanhar os telejornais e noticiários, sabemos realmente tudo o que acontece na política do nosso país e no mundo afora. Tornamo-nos PHD em tudo quanto é assunto em âmbito nacional e mundial, sem ao menos estudarmos o mínimo, sem ao menos refletirmos o mínimo. Como pode?

O conteúdo transmitido em sua TV é plenamente deliberado, não está passando para o seu bem-estar, para que sejamos informados e possamos analisar o mundo de uma maneira crítica e correta. Tudo o que é passado serve para nos condicionar ao erro, nos controlar, de modo que se mantenha o status quo, de modo que quem não tem, tenha ainda menos, e quem tem, ganhe muito mais. Para isto foram criados os sistemas comunicacionais, e essa é a base da Teoria da Comunicação – a manipulação das massas. Ou seja, os veículos midiáticos, desde o início, são usados propositalmente para o emburrecimento geral.

Enquanto a educação for tóxica, enquanto acreditarmos que os protagonistas da comunicação querem nosso bem, e apenas reproduzirmos o que vemos e ouvimos, continuaremos a viver sob o medo da violência, à sombra das mazelas sociais e a acreditar que o inferno é aqui na Terra. Enquanto Datenas, Rezendes, Marinhos, Casoys, BONNERS e etc. usufruem do Céu e seu paraíso no mesmo plano carnal que nós.