MÃE SÓ HÁ UMA – Cinema

A cineasta Anna Muylaert, rodou o mundo para apresentar seu filme QUE HORAS ELA VOLTA?, que tocou plateias de diferentes nacionalidades e grupos sociais. Apesar de retratar uma realidade de opressão social bem brasileira, o longa conseguiu dar voz a muitas outras realidades e opressões para além do roteiro.

Agora a diretora estreia sua nova criação: MÃE SÓ HÁ UMA, que promete também levantar polêmicas nas questões de gênero e sexualidade.

Livremente baseado na história de sequestro do menino Pedrinho, ocorrido em 2002, o roteiro conta a vida de um adolescente, que aos 17 anos descobre que foi roubado e tem outra família.

O desmoronamento da realidade de Pierre e sua tentativa de reestruturação são os argumentos para discutir autenticidade e liberdade de escolha, colocando em cheque valores e rótulos sociais.

O filme estreou em Berlim, na mostra Panorama do Berlinale 2016, recebendo excelentes críticas e o prêmio Teddy concedido pela revista alemã Manner, considerado um premio oficial do público LGBT no Festival de Berlim.

A distribuidora Vitrine Filmes é responsável pela estreia do filme no Brasil no dia 21 de julho próximo.

No dia 20, a pré-estréia será exibida na abertura do 11 FESTIVAL DE CINEMA LATINO-AMERICANO DE SÃO PAULO, que vai homenagear o cinema de Anna Muylaert este ano. Estão na programação do festival 23 títulos dirigidos e/ou roteirizados pela cineasta, telefilmes, séries televisivas, curtas e videoclipe.

Ainda no dia 20, MÃO SÓ HÁ UMA, estreia em Paris, com o título de D’UNE FAMILLE À L’AUTRE, e em setembro na Holanda e Suiça Alemã.

Página no Facebook: https://www.facebook.com/maesohauma/?fref=ts

Data de lançamento 21 de julho de 2016

Direção: Anna Muylaert

Elenco: Naomi Nero, Dani Nefussi, Matheus Nachtergaele, Daniel Botelho, Luciana Paes e outros

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Vilania no cinema brasileiro – CCBB SP

Captura de Tela 2016-07-11 às 09.51.57Mostra de filmes e debate que propõe uma reflexão sobre como a vilania e suas diferentes manifestações simbólicas são retratadas no cinema brasileiro. A seleção traça um panorama com produções clássicas e contemporâneas, com bandidos, psicopatas, anti-heróis e vilões de todos os tipos.

Local: Cinema

 

Programação

06/07 (quarta-feira)

15h – Cidade oculta
(1986, 120 min, classificação indicativa: 16 anos)

17h30 – Os sete gatinhos
(35mm, 1977, 109 min, classificação indicativa: 18 anos)

19h30 – Curtas 1
(66 min)

Olho por olho
(35mm, 1967, 20 min, classificação indicativa: 18 anos)

Manhã cinzenta
(35mm, 1968, 22 min, classificação indicativa: 18 anos)

A casa dos mortos
(Produzido originalmente em formato digital, 2009, 24 min, classificação indicativa: 18 anos)

07/07 (quinta-feira)

15h – O Ébrio
(35mm, 1946, 107 min, classificação indicativa: 16 anos)

17h30 – Porto das Caixas
(35mm, 1962, 82 min, classificação indicativa: 18 anos)

19h30 – Cidade de Deus
(35mm, 2002, 130 min, classificação indicativa: 16 anos)

08/07 (sexta-feira)

15h – O matador profissional
(Digital, 1968, 90 min, classificação indicativa: 18 anos)

17h30 – Baixio das bestas
(Digital, 2006, 80 min, classificação indicativa: 18 anos)

19h30 – O som ao redor
(35mm, 2013, 131 min, classificação indicativa: 16 anos)

09/07 (sábado)

14h – Curtas 2
(84 min)

Zézero
(Digital, 1972, 30 min, classificação indicativa: 18 anos)

Ideologia
(Digital, 1968, 34 min, classificação indicativa: 18 anos)

Amor só de mãe
(35mm, 2003, 20 min, classificação indicativa: 18 anos)
15h30 – Girimunho
(35mm, 2012, 90 min, classificação indicativa: 10 anos)

17h30 – Masterclass com Hernani
(100 min)

19h30 – Noite Vazia
(Digital, 1964, 93 min, classificação indicativa: 18 anos)

10/07 (domingo)

15h – Curtas 3
(96 min)

Olho por olho
(35mm, 1967, 20 min, classificação indicativa: 18 anos)

Manhã cinzenta
(35mm, 1968, 22 min, classificação indicativa: 18 anos)

Amor só de mãe
(35mm, 2003, 20 min, classificação indicativa: 18 anos)

Ideologia
(Digital, 1968, 34 min, classificação indicativa: 18 anos)

17h30 – Cidadão Boilesen
(Produzido originalmente em formato digital, 2009, 92 min, classificação indicativa: 12 anos)

19h30 – Ato de violência
(Digital, 1980, 115 min, classificação indicativa: 18 anos)

11/07 (segunda-feira)

15h – Os sete gatinhos
(35mm, 1977, 109 min, classificação indicativa: 18 anos)

17h30 – O matador profissional
(Digital, 1968, 90 min, classificação indicativa: 18 anos)

15h – Cidade oculta
(Digital, 1986, 120 min, classificação indicativa: 16 anos)

13/07 (quarta-feira)

15h – A Navalha na carne
(35mm, 1969, 90 min, classificação indicativa: 18 anos)

17h30 – O invasor
(Digital, 2002, 97 min, classificação indicativa: 18 anos)

19h30 – O anjo da noite
(35mm, 1974, 84 min, classificação indicativa: 18 anos)

14/07 (quinta-feira)

15h – Tempo de Violência
(35mm, 1969, 93 min, classificação indicativa: 18 anos)

17h30 – República dos assassinos
(35mm, 1979, 110 min, classificação indicativa: 18 anos)

19h30 – Trabalhar cansa
(35mm, 2011, 99 min, classificação indicativa: 12 anos)

15/07 (sexta-feira)

15h – A filha do advogado
(Digital, 1926, 92 min, classificação indicativa: 16 anos)

17h30 – Os inconfidentes
(35mm, 1972, 93 min, classificação indicativa: 12 anos)

19h30 – Madame Satã
(35mm, 2002, 105 min, classificação indicativa: 16 anos)

16/07 (sábado)

15h – O Ébrio
(35mm, 1946, 107 min, classificação indicativa: 16 anos)

17h30 – Durval Discos
(35mm, 2003, 96 min, classificação indicativa: 12 anos)

19h30 – Esta noite encarnarei no teu cadáver
(35mm, 1967, 95 min, classificação indicativa: 18 anos)

17/07 (domingo)

15h – Benjamin
(35mm, 2003, 100 min, classificação indicativa: 14 anos)

17h30 – A freira e a tortura
(Digital, 1983, 85 min, classificação indicativa: 14 anos)

19h30 – Tropa de Elite 
(Digital, 2007, 118 min, classificação indicativa: 16 anos)

18/07 (segunda-feira)

15h – Trabalhar cansa
(35mm, 2011, 99 min, classificação indicativa: 12 anos)

17h30 – Madame Satã
(35mm, 2002, 105 min, classificação indicativa: 16 anos)

19h30 – Bonitinha, mas ordinária
(16mm, 1981, 105 min, classificação indicativa: 16 anos)

20/07 (quarta-feira)

15h – Esta noite encarnarei no teu cadáver
(35mm, 1967, 95 min, classificação indicativa: 18 anos)

15h – Benjamin
(35mm, 2003, 100 min, classificação indicativa: 14 anos)

19h30 – Ópera do malandro
(35mm, 1986, 100 min, classificação indicativa: 18 anos)