O Pará é um estado único. Combina um vasto e rico patrimônio natural com farta diversidade étnica e cultural. Parte relevante da identidade cultural paraense é a sua culinária típica.

O açaí  é elemento tradicional e imprescindível à mesa paraense, contudo, preparado de maneira muito distinta da que consumimos no sul e sudeste do país, isto é, misturado a xarope de guaraná e outras frutas. No Pará, consome-se açaí misturado à farinha de tapioca ou d’água, e acompanha pra tipos como o peixe. Misturar o açaí a outra fruta é visto pelo paraense como uma profunda heresia. Há os que creem que açaí com banana, morango ou, especialmente, com cupuaçu, é morte certa. Como os antigos acreditavam fosse a mistura de manga com leite. Outros frutos, como o muruci, a bacaba, o camapu, o tucumã, a pupunha, o taperebá etc., são muito apreciados no Pará. Há também uma grande diversidade de farinhas, oriundas da mandioca, além do tucupi – caldo fermentado da mandioca brava.

Certamente, o principal centro gastronômico do Pará é a eclética e fascinante Ver-o-peso. Inaugurada em 1625 no antigo Porto do Pirí, a Casa de “Haver o Peso”, que inicialmente era apenas um posto de aferição de mercadorias e arrecadação de impostos, viria a constituir um grande mercado aberto. O conjunto arquitetônico e paisagístico foi reconhecido pelo Iphan em 1977.

Segundo o Iphan, “o Mercado de Ferro começou a ser construído em 1899, com influência europeia, seguindo a proposta dos engenheiros Bento Miranda e Raymundo Vianna. Com estrutura de ferro trazida da Europa e cobertura principal em telha tipo Marselha, as torres art noveau foram cobertas com escamas de zinco, sistema Vieille-Montagne. A inauguração foi em 1901, junto com o Mercado de Carne.

Considerada a maior feira livre da América Latina, o Ver-o-Peso é, acima de tudo, um lugar de intensa vida social e intercâmbio cultural, onde as práticas trabalhistas tradicionais têm lugar e uma complexa teia de relações sociais é tecida, envolvendo o comércio de natureza comercial, mas também simbólica.”

Hoje, a feira amalgama produtos, frutos, hortaliças, peixes, camarões, mariscos, utensílios, artesanato, animais vivos e farinhas. Há também o espaço das tradicionais erveiras, que oferecem as famosas “garrafadas” e poções.

Este ensaio fotográfico foi produzido numa tarde do dia 14 e na manhã do dia 15 de novembro, quando eu e Karen visitamos a feira para desfrutarmos dos aromas, sabores e cotidiano do Ver-o-peso.

Aproveitei para reencontrar uma amiga, Beth Cheirosinha, a mais antiga e conhecida erveira da feira e conhecedora profunda dos segredos fitoterápicos, bem como das poções mágicas, que servem, entre outras coisas, para atrair ou afastar o amor.

O Ver-o-peso tem de tudo, para todos os gostos. Conhecê-lo é imprescindível para quem visita Belém.

cec_2562

Poções das erveiras do Ver-o-peso

cec_2539

Beth Cheirosinha, erveira do Ver-o-peso

cec_2555

Erveira no Ver-o-peso

cec_2874

Erveira no Ver-o-peso

cec_2880

Beth Cheirosinha, erveira do Ver-o-peso

cec_2925

Frutas e castanhas

cec_2929

Cestos com mangas

cec_2926

Mangas

cec_2916

Farinhas

cec_2590

Peneirando a tapioca

cec_2575

Farinhas

cec_2618

Área das erveiras, Ver-o-peso

cec_2637

Mercado de peixes, Ver-o-peso

cec_2636

Mercado de peixes, Ver-o-peso

cec_2647

Mercado de peixes, Ver-o-peso

cec_2640

Mercado de peixes, Ver-o-peso

cec_2642

Mercado de peixes, Ver-o-peso

cec_2660

Mercado de peixes, Ver-o-peso

cec_2694

Mercado de peixes, Ver-o-peso

cec_2700

Mercado de peixes, Ver-o-peso

cec_2713

Mercado de peixes, Ver-o-peso

cec_2709

Mercado de peixes, Ver-o-peso

cec_2578

Pirarucu salgado, Ver-o-peso

cec_2594

Camarões salgados, Ver-o-peso

cec_2592

Camarões salgados, Ver-o-peso

cec_2573

Camarões salgados, Ver-o-peso

cec_2722

Vendedor de peixe, lado de fora do Ver-o-peso

cec_2731

Vendedor de peixe, lado de fora do Ver-o-peso

cec_2770

Vendedor de peixes, parte externa do Ver-o-peso

cec_2727

Vendedor de peixe, lado de fora do Ver-o-peso

cec_2751

Vendedor de peixe, lado de fora do Ver-o-peso

cec_2912

Setor de animais vivos, patos

cec_2899

Setor de animais vivos

cec_2606

Setor de animais vivos

cec_2598

Setor de animais vivos

cec_2910

Ao fundo garrafas com tucupi, à frente cuias para açaí

cec_2864

Pimentas

cec_2867

Pimentas

cec_2571

Pupunha

cec_2839

Vista do Ver-o-peso

cec_2825

Vista parcial do Ver-o-peso

cec_2603

Vista parcial do Ver-o-peso

cec_2769

Vista parcial do Ver-o-peso

cec_2806

Região do Ver-o-peso

cec_2799

Região do Ver-o-peso

cec_2791

Região do Ver-o-peso

cec_2785

Região do Ver-o-peso

cec_2765

Região do Ver-o-peso

cec_2763

Região do Ver-o-peso