A Virada Feminista é um esforço coletivo de mulheres militantes, artistas e artistas militantes para promover 24h de cultura feminista na cidade de São Paulo!Inspirada na resistência cotidiana das mulheres, a Virada contará com atividades de dança, cinema, teatro, literatura, internet livre, fotografia, zine, agroecologia, grafite e culinária às 17h nos dias 3 e 4 de setembro!


Por que uma Virada Feminista?
Enquanto o machismo tenta t

transformar o corpo feminino em objeto, as distâncias – geográficas e sociais– produzidas nas cidades aprofundam as desigualdades entre mulheres e homens, brancas e negras, pobres e ricos. Submetidas a uma intensa jornada de trabalho e responsáveis por todo o cuidado com a casa e a família, as mulheres são excluídas de vivenciar e transformar a cidade.

No mundo em que vivemos, estar no espaço público pode significar, para as mulheres, possibilidades de serem deslegitimadas, desrespeitadas, assediadas e violentadas. Ao mesmo tempo, ocupar este espaço é uma das mais fortes demonstrações de resistência. Nas ruas, praças, palcos e palanques, as mulheres, inconformadas e persistentes, revelam-se protagonistas da transformação de sua própria vida e do mundo.

Organização colaborativa, arrecadação coletiva
Para promover uma cultura feminista, não basta que as mulheres sejam assunto ou a voz de obras artísticas, mas que inventem  um processo que questione a competitividade, a hierarquia e a divisão alienada de tarefas.

A Virada Feminista tem como proposta uma rede de colaboração entre mulheres com base na solidariedade e na coletividade. Por colocar em prática a auto-organização, incentiva o envolvimento das mulheres de distintas realidades e acúmulos em todas as etapas necessárias à produção cultural, desde a preparação da programação, até a operação de equipamentos como câmera, luz e som, trabalhos predominante masculinos, nos quais a participação feminina é geralmente ocultada. Optamos por uma campanha de financiamento coletivo com a ideia de envolver ainda mais gente nesse processo e torná-lo cada vez mais amplo.

Arrecadar para quê?

No ano passado, organizamos a Virada Feminista com pouquíssimo dinheiro, e mesmo assim o resultado foi surpreendente. Contamos com o apoio de mulheres que cantaram, dançaram, deram oficinas, cuidaram de tudo mesmo sem receber nenhum dinheiro. Este ano, queremos contribuir de forma simbólica para o trabalho de todas elas, porque sabemos que produzir cultura fora dos padrões de entretenimento não é fácil em nossa sociedade.

Queremos realizar uma feira de economia feminista e solidária, com a presença de mulheres artesãs e produtoras que encontram em seu trabalho uma forma de resistência e autonomia. Acreditamos que a cultura perpassa a economia, e que uma economia feminista, livre dos moldes de exploração, é possível.

Queremos também um palco externo, do lado de fora do Centro Cultural, para envolver mais gente em torno da música das mulheres, disponibilizar mais espaços internos para outras atividades e integrar ainda mais a cultura e a cidade.

Para isso, precisamos do seu apoio! Bolamos recompensas muito bacanas, individuais e coletivas, e acreditamos que o financiamento colaborativo pode garantir uma Virada que reúna, inspire e impulsione as resistências e alternativas feministas.

Orçamento

1ª META!!! (R$25.000)

  • FEIRA DE ECONOMIA SOLIDÁRIA: $5.000
    aluguel de mesas e cadeiras, transporte e alimentação das participantes
  • RECONHECIMENTO DO TRABALHO DAS ARTISTAS, OFICINEIRAS E TÉCNICAS: $11.000
    ajuda de custo para transporte e alimentação de 110 mulheres
  • RANGO: $3.000
    alimentação 24h da equipe colaborativa
  • MATERIAL PARA FAZER ARTE: $2.200
    tinta, spray, cabos, pincéis, canetas, papel etc.
  • CATARSE: $3.250
  • RECOMPENSAS: $2.550

2ª META!!!

PALCO EXTERNO: R$12.000

 

Conheça o projeto no Catarse:

https://www.catarse.me/viradafeminista2016